CUBE DO LIVRO: OS 13 PORQUÊS - LIVRO & SÉRIE

Assim que lançou no Netflix a série 13 reasons why eu e as meninas do Clube do Livro resolvemos maratona-la no fim de semana. Não foi atoa que a leitura escolhida para o mês de março, foi o best seller de Jay Asher que deu origem ao seriado.


SINOPSE: Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker - uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

A série foi bem fiel ao livro, com pequenas alterações que deixam abertura para uma próxima temporada. O último capitulo é um documentário com os atores, diretores e psicólogos que participaram da super produção. Uma das explicações para tais mudanças, foi de não 'romantizar' o suicídio. No livro, Hannah tem uma overdose de medicamentos, já na série ela corta os pulsos, a intenção é que a cena incomodasse quem assistisse, e incomoda. Diferente de 'O último adeus' onde conta a história de como a família de Tyler tentou seguir em frente após seu suicídio, em 13 reasons why, narra os motivos que levaram Hannah a tirar a própria vida. Nos faz voltar na época do colégio onde tínhamos as mesmas atitudes (ou bem parecidas) de vários personagens, mas que eram consideradas 'normais' entre adolescentes, antes era zoação, hoje é bullying e a gente sabe que mata. Claramente podemos ver que um motivo se soma ao outro até que Hannah toma sua decisão, são coisas que parecem pequenas, mas que somadas, se tornam uma bola de neve sem controle. O intuito de 'sentir na pele' o que é ser vitima de bullying e sofrer de depressão, deu certo.

- Se você nunca passou o mesmo que ela e não consegue se colocar no lugar do próximo, a série com certeza não vai ter o mesmo impacto. Cibele - Estante Lotada

Apesar de ser uma história com jovens num ambiente jovem, produzida por uma jovem (Selena Gomez), o público é tratado como adulto. Em nenhum momento tentam minimizar os problemas, as cenas fortes são fortes, te fazem sentir nojo, raiva, desespero e são intencionalmente desconfortáveis. Mesmo nos momentos mais angustiantes, a câmera não desvia o “olhar” te obrigando a encarar o horror do que está acontecendo. As coisas que acontecem na série são horríveis e muita gente se recusa a aceitar ou pensar nisso, mas a série te força a prestar atenção. Mesmo o livro tentou pegar leve em algumas partes, mas acho que a série ter sido feita dessa forma contou muito para o impacto que vem causando em quem assiste e isso é importante pois por mais que a história seja apenas ficção, sabemos que são coisas que acontecem de verdade com muitas pessoas por aí. Cibele - Estante Lotada

Outra mudança do livro pra série, foi acompanhar como a morte da Hannah afetou quem estava em sua volta, além da reação dos demais personagens com as fitas, sendo que no livro são apenas as memórias e reações do Clay. A repercussão da série foi tão grande que nas redes sociais foram criadas hashtags, campanhas e até um site onde é possível localizar organizações para prevenção do suicídio espalhadas em diversos países.

O fato que a série te faz pensar e repensar em diversas coisas, serve de alerta para pais, responsáveis, amigos e profissionais. Sem dúvida foi muito bem feita e recomendo que assistam.

IMAGEM: CLUBE DE LEITURA CARUARU
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Karine, estudante de publicidade e propaganda, capricorniana as avessas, paulista de coração e com o sonho de fazer mochilão.

Facebook

Categorias

YOUTUBE

Instagram

Arquivos

PROJETOS

Tecnologia do Blogger.
 
Todos os direitos reservados 2016 - 2017 | Design E Programação: Espalhando Bonitezas